sexta-feira, 5 de junho de 2009

3 de Junho de 2009. Estádio de Alvalade.

Às 21:40h em ponto as luzes do Estádio Alvalade XXI apagaram-se para dar início ao tão aguardado concerto dos AC/DC. O estádio praticamente esgotado ficou rendido perante o magnífico espectáculo multimédia de abertura. Foram alguns minutos que nos deram um cheirinho daquilo que estava para vir.
Pouco tempo depois, uma explosão, muito fumo e Angus Young entra em palco. Milhares de pessoas ficam em delírio. Um barulho ensurdecedor que se agravou com a entrada do resto da banda. Por falar em palco, não posso deixar de referir os nada modestos 78 metros de largura e a equipa de som e luz de fazer inveja a qualquer banda.
O espectáculo (custa-me classificar como um simples concerto) protagonizado pela banda australiana começou com Rock 'n' Roll Train. Seguiram-se clássicos como Back in Black, Thunderstruck, The Jack (com o habitual striptease de Angus Young, mas desta vez com uma surpresa: os boxers com o logotipo da banda), Hells Bells (com Brian Johnson a tocar o sino), You Shook Me All Night Long, T.N.T., Whole Lotta Rosie (a gigantesca boneca Rosie apareceu em palco nesta música), Highway to Hell e For Those About to Rock We Salute You (estas duas últimas já em encore). Pelo meio, tempo para um solo de Angus Young com mais de 10 minutos, onde mostrou a toda a gente porque o consideram um dos melhores guitarristas do rock and roll. Por esta altura tínhamos a certeza que tudo à nossa volta era épico, o concerto do ano e não só...
Saí de lá com algumas certezas: aqueles senhores, todos com mais de 50 anos, continuam como a mesma energia com que começaram a carreira (1978), são uns músicos fantásticos (e não me refiro apenas ao Angus, pois a secção rítmica, por exemplo, é fenomemal) e que certamente proporcionaram um dos melhores concertos da vida de praticamente toda a gente que ali esteve. Como um amigo de longa data hoje escreveu: não foram tocadas simples músicas, mas sim autênticos hinos do rock and roll (Johnny).

Nota: o concelho de Seia fez-se representar por cerca de 20 pessoas. Somos os maiores!